Daniel Filipe da Luz Pacheco nasceu a 25 de Julho de 1981 no concelho do Barreiro, distrito de Setúbal.

Fotografia tirada na primeira Feira da Revista Moeda de 2016

Em que momento sentiste o apelo da numismática?

"Se calhar o meu processo foi inverso ao dos restantes comerciantes. Estava a terminar o 12º ano e faltavam-me apenas umas disciplinas quando um amigo que trabalhava numa casa de numismática em Lisboa me convidou para trabalhar nessa casa.
Nunca tinha ouvido falar sobre esta realidade, a numismática, e entrei num mundo completamente novo.

Como sempre gostei muito de história, batalhas e reis, comecei a envolver-me no estudo de moedas da monarquia e da república. Quando dei por mim, aquilo que era um trabalho que tinha apenas para ganhar "uns trocos", tornou-se numa paixão. Deixei claro na loja que estava a gostar da área e que estava a aprender bastante e passei de um trabalho a tempo parcial para um trabalho a tempo inteiro. Depois de 7 a 8 meses fui convidado a ficar."

Nao fizeste portanto aquele percurso típico de coleccionador para comerciante, em que o coleccionismo foi herdado de um familiar?

"Não, nem nunca tinha trabalhado no comércio, quanto mais no comércio da numismática. Adorei o contacto com o cliente e com as moedas."

Mas mantiveste sempre uma abordagem fria e distante do comerciante ou houve uma aproximação emocional às moedas?

"De forma muito pragmática procurei sempre manter uma distância emocional das moedas. Pensei sempre que não me podia "viciar" neste "produto". Distanciei-me sempre do coleccionismo. Ainda hoje há moedas que vou guardando, mais direccionados à monarquia, mas de forma geral evito-o."

Quando deste o passo de criar a Pronumis?

"Trabalhei diversos anos na casa de numismática em Lisboa mas, em Novembro de 2013, decidi arrancar com a Pronumis. Falei com a minha entidade empregadora e comuniquei-lhes que queria lançar um projecto meu."

Que ideias tinhas para a Pronumis?

"O primeiro passo foi criar uma loja online. Sempre pretendi ter uma loja virtual que transmitisse credibilidade com uma boa imagem e bons produtos a preços razoáveis. A loja física existe, é necessária, mas não procurei abrir uma grande loja, muito dedicada ao cliente do dia a dia. O meu foco é a loja online.

As grandes empresas viraram-se para as "newsletters" e "mailling lists" (Alemanha especialmente) e, claro, a internet. Há imensos coleccionadores que já não se deslocam às feiras e isso nota-se mas, estas feiras continuam a ser as maiores de todo o mundo.

O segundo passo é o tentar participar no maior número de feiras internacionais, em particular as feiras alemãs, a World Money Fair em Berlim (anual) e depois as 3/4 Feiras Numismata em Frankfurt, Berlim, Munique na Alemanha e Viena na Austria. Já estive numa feira em Londres (Coinex), onde já me cruzei com o kollectbox, para conhecer e perceber o mercado mas é um mercado fora do meu segmento. Fora do que estou habituado."

E onde se situa a loja física?

"A loja física, na cidade do Barreiro, localiza-se na Rua Dr. Câmara Pestana nº33C Barreiro. Sempre quis a loja física para evitar estar em casa e ter produtos em casa. Assim tenho maior segurança, um dia a dia mais funcional, maior credibilidade e não estou arrependido."

Convido-vos a visitar a loja física Pronumis no Barreiro e ainda a explorar a loja online. Não se vão arrepender!

Jorge Oliveira

Co-fundador do Kollectbox - Mercado Online de Coleccionadores de Selos, Notas e Moedas
View Jorge Oliveira's profile on LinkedIn